Arte, espiritualidade e confraternização no “Natal no NEA”

Música, teatro, dança, poesia, reflexão Cristã e espiritualidade, além de integração e confraternização. Estes foram os ingredientes do “Natal no NEA”, realizado nos dias 10 e 17 de dezembro, em nossa sede, com o objetivo de proporcionar um momento de reflexão em torno dos postulados cristãos. O evento contou com a apresentações artísticas não apenas do NEA, como também de artistas espíritas da cidade e um bom público que ocupou o pequeno e aconchegante espaço da sala Victorien Sardou.
A primeira noite começou com a participação de Percival Flores e Milene Raiche Flores, que interpretaram as canções “The Sound of Music" (instrumental), “A Força do bem” e “Amigos Invisíveis”. Na sequência, os neanos Gabriel e Luiza Nunes cantaram “Pequenas maravilhas”, seguidos de Vivian Françosi e Lauren Fontoura com um esquete teatral sobre criança de rua. Alexandre Chambarelli veio em seguida com as músicas “Essa luz” e “A Paz”, Rafael Cabral e Renata Amorim cantaram “Partes de Ti” e “Sou um ser maior”, Isaac Nunes e Luiz Bastos fizeram uma performance de mímica intitulada “A ponte”. A noite continuou com Paulo Cézar Gonçalves e Patricia, que interpretaram “Apesar da dor” e “Regeneração”, e Marco Cesar Krügger com a música “Há dois mil anos” e declamação do “Conto de Natal”, de Francisca Clotilde, do livro “Antologia Mediúnica de Natal” (Chico Xavier). Finalizando a primeira noite, todos os artistas se reuniram para cantar “Aos pés do Monte”.
No dia 17 o evento teve continuação, inicialmente com a participação de Vivian Françosi e Renata Amorim, seguida da apresentação da dupla Simone e Crema, que interpretou diversas canções do repertório espírita. Vivian Françosi retornou em seguida e, juntamente com Maico Guibson, fez uma performance de poesia e dança. A última apresentação desta noite foi do Grupo de Teatro do NEA, que estreou a remontagem da peça “Libertação”, com atuação de Willian Dutra, Gabriel Nunes e Luíza Nunes. Novamente, todos os artistas se reuniram, ao final, para cantar “Noite Igual”.
O “Natal no NEA” foi uma experiência muito gratificante, demonstrando que nossa sede, apesar de pequena, comporta apresentações artísticas para um público restrito, num ambiente aconchegante. A ideia é repetir essa atividade no próximo ano.